LINFEDEMA

 

 

 O que é linfedema?

Trata-se de edema - acúmulo localizado de líquido - de origem linfática determinado por deficiência na absorção ou condução da linfa.

Os linfedemas podem ser primários - sem causa definida - ou secundários a inflamações, traumas, irradiações e cirurgias sobre os gânglios linfáticos. No norte e nordeste do Brasil pode ser devido à filariose, causada por um pequeno verme, a filária. Os linfedemas instalam-se habitualmente nos membros inferiores ou superiores.

 

 Quais os principais cuidados com o linfedema?

É fundamental evitar infecções e traumas (por exemplo aplicação de injeções) no membro atingido. A compressão elástica é indispensável (meia elástica ou braçadeira). É importante evitar a permanência em pé ou sentado com o membro inferior imobilizado. Exercícios devem ser feitos sob orientação médica. São importantes os cuidados higiênicos com a pele.

 

 Traz beneficio a realização de massagens?

Sim, mas sob orientação médica e realizada por profissional competente. Desobedecer estes critérios pode agravar o linfedema.

 

 Há cura para o linfedema?

O linfedema ocorre quando há lesão irreversível dos linfáticos. Pode-se falar em controle clínico, com redução do volume do membro atingido até praticamente o normal, quando a doença está no início e o paciente segue o tratamento contínua e rigorosamente. Em fases mais avançadas, pode ser indicado algum tratamento cirúrgico, mais no sentido paliativo.

 

 A elefantíase é um linfedema?

Sim. O termo aplica-se a membros inferiores com linfedema volumoso geralmente com tecido subcutâneo substituído por fibrose cuja aparência lembra a perna e pé de elefante. São quadros graves, muitas vezes com indicação cirúrgica como medida higiênica, para melhora da marcha e da convivência social.

 

 O portador de linfedema é um inválido?

Excepcionalmente, quando a localização, extensão e volume dificultam ou impedem o trabalho. Programas de readaptação ao serviço permitem que pacientes não sejam marginalizados ou estigmatizados como inválidos.

 

 O linfedema de membro superior pós-mastectomia tem boa evolução?

Com um tratamento clínico bem orientado por angiologista, os linfedemas são mantidos "compensados"; isto é, não aumentam e podem ser bastante reduzidos. Existem aparelhos de compressão intermitente de uso domiciliar, capazes de manter o membro superior em situação bastante favorável, seja para o trabalho, seja na integração social.