REFLUXOS QUILOSOS

 

  O que é?

As gorduras são absorvidas no intestino delgado por vasos linfáticos que transportam a linfa leitosa - o quilo - através de um vaso linfático calibroso - o ducto torácico - que por sua vez, drena na veia subclávia localizada no tórax. O refluxo quiloso ocorre quando há alteração no sentido do fluxo da linfa vinda do intestino, devido a alguma barreira no caminho, que pode ser uma doença congênita ou adquirida.

 

  Quais os refluxos quilosos mais conhecidos?

As alterações do percurso do quilo podem facilitar seu derramamento na cavidade abdominal (quiloascite), na cavidade torácica (quilotórax), em articulação do membro inferior (quiloartrite), para vísceras como rins (quilúria), para o útero (quilometrorréia) e para o exterior através da rotura de vesículas esbranquiçadas de membro inferior (quilorragia). Todas estas situações se caracterizam pela presença do líquido leitoso.

 

  Como suspeitar de um refluxo quiloso?

Quando há eliminação de urina esbranquiçada como leite, presença de corrimento vaginal leitoso e sem resposta ao tratamento instituído, presença de pequenas e múltiplas vesículas na perna ou coxa, com rotura espontânea e saída de líquido leitoso. Não é obrigatória a presença de linfedema.

 

  Refluxo quiloso tem tratamento?

O tratamento baseia-se na identificação dos locais de refluxo para a proposta do tratamento cirúrgico definitivo, principalmente nos casos de quilúria.

 

  Há risco para este tipo de cirurgia?

É o mesmo das cirurgias de porte médio com abertura do abdome.

 

  Qual o tratamento clínico para os refluxos quilosos?

Os refluxos quilosos são situações raras e cada caso deve ser individualizado. A presença do cirurgião vascular é importante para a adoção do tratamento mais adequado a cada paciente.

 

 Qual a situação atual das doenças linfáticas dentro da Angiologia e Cirurgia Vascular?

O tratamento e os métodos profiláticos para as doenças linfáticas estão bastante defasados em relação às artérias e veias. Isto facilita, muitas vezes, propostas milagrosas de tratamento, geralmente dispendiosas e ineficazes. O paciente e seus familiares devem adotar uma postura critica, inteligente, buscando um especialista qualificado para orienta-los.