VARIZES DOS MEMBROS INFERIORES

 

  O que são ?

Varizes dos membros inferiores são veias dilatadas tortuosas e palpáveis, situadas no subcutâneo (camada de tecido gorduroso que fica sob a pele). Por vezes estas varizes podem tornar-se muito volumosas ocasionando sérias complicações.

 

  A porcentagem de pessoas portadoras de varizes é muito elevada?

Esta porcentagem é muito elevada e varia entre os países. No Brasil ocorre em 35% das pessoas acima de 15 anos. O número aumenta com a idade. Entre os 30 e 40 anos, atinge 3% dos homens e 20% das mulheres. Aos 70 anos de idade, 70% dos indivíduos apresentam algum tipo de varizes.

 

  Porque são mais comuns as varizes dos membros inferiores ?

Porque o sangue venoso segue do pé em direção ao coração e, daí, para os pulmões para ser oxigenado, a fim de retornar aos tecidos para nutri-los. Nos membros inferiores circula contra a ação da gravidade e contra a pressão do abdome, exigindo condições para evitar o refluxo sangüíneo, isto é, que o sangue que já subiu não desça novamente.

Os mecanismos anti-refluxo são:

Quando falham estes mecanismos há dilatação das veias, as válvulas tornam-se incompetentes e o sangue não retorna normalmente.

 

  Há condições que favorecem o aparecimento das varizes?

Sim e são denominadas fatores de risco.

As condições que favorecem o aparecimento da varizes são:

 

  O que sente o paciente?

  Ocorrem complicações?

As principais queixas são:

Todas estas queixas se acentuam no final do dia, sobretudo quando se permanece longas horas de pé ou sentado; no calor; nas mulheres na época menstrual; ou durante as gestações.

As complicações são:

 

  Como se tratam as varizes?

Depende do tipo de varizes. As calibrosas são de tratamento cirúrgico; já as telangiectasias (microvarizes, vasinhos), são tratadas pela escleroterapia. Há casos, porém, em que se procede apenas ao tratamento clínico.

É altamente recomendável a prescrição de meia-calça de média compressão, para pacientes com varizes primárias que não querem ser operadas, ou que querem adiar a cirurgia. Alguns medicamentos aliviam os sintomas.

É fundamental também a prescrição de meia-calça, de compressão média, como profilaxia de varizes primárias em gestantes.

 

  Como se faz o planejamento cirúrgico?

Para realizar corretamente uma operação de varizes, o cirurgião deve, na véspera da operação, marcar na perna do paciente com tinta adequada, os pontos onde vai fazer os cortes e o trajeto das varizes que vai retirar:

é o mapeamento destas varizes, necessário a boa execução de seu trabalho.

 

  Em que consiste a operação?

Na retirada das veias varicosas, através de pequeníssimas incisões (cortes) com a ajuda da agulha de "crochet". Na virilha ou no joelho ou onde houver uma veia muito calibrosa, o corte é maior e há necessidade de pontos para fechá-lo. Mesmo assim, a cicatriz, na grande maioria dos casos, é imperceptível.

Há hoje o cuidado de não se retirar as veias safenas (fleboextração) a não ser em casos em que seja impossível conservá-la. A avaliação pré-operatória com ultra-som auxilia no planejamento cirúrgico e na decisão quanto a esse procedimento. Como todos sabem as safenas servem para pontes no coração e, também nas pernas, salvando-as de gangrena.

Pode-se operar varizes com anestesia local, em ambiente cirúrgico (de clínicas ou hospitais), sem necessidade de internação. Em casos de operações demoradas e varizes volumosas utiliza-se a anestesia peridural e a hospitalização é necessária, porém geralmente restrita a apenas um dia.

 

 As veias retiradas não vão fazer falta?

  Quais os riscos da operação ?

As veias que são retiradas por estarem doentes não colaboram para circulação; ao contrário, sua retirada causa melhoria nas condições circulatórias da perna, aliviando os sintomas, melhorando a estética e prevenindo as complicações da evolução do processo varicoso.

Risco existe em qualquer ato operatório, mas é praticamente zero, sobretudo hoje com as modernas técnicas e cuidadoso exame pré-operatório. examina-se o paciente e não apenas as suas pernas.

As intercorrências que surgem depois da operação são:

Hoje, os riscos de intercorrências são estatisticamente insignificantes nas operações de varizes realizadas por especialistas.